segunda-feira, 26 de abril de 2010

Africa - Uganda - Depois criticam porque este continente é tão atrasado.


Ontem fiquei horrorizado ao ver reportagens e artigos sobre a tentativa de ser aprovada uma lei em Uganda que pode ate condenar um homossexual a morte. Sempre critiquei, sempre defendi uma política igualitária que mostra a todos a beleza da diversidade em todas as áreas do conhecimento e regiões do planeta, mas ouvir um Ministro que se diz da Ética dizer que se uma pessoa esta na frente de uma escola fazendo campanha de combate a AIDS é homossexual e que é responsável sim pela grande epidemia da doença neste país retrógrado é uma PIADA. O horrível da entrevista foi que realmente acredita no que fala e prega. A África possui cerca de 30 países que consideram a homossexualidade como crime e cerca de 4 outros condenam uma pessoa por ser gay a prisão pérpetua e até a morte. Meu Deus onde chegaremos? Aqui no Brasil estudantes de uma das maiores universidades do Brasil - a USP - divulgam em um jornal de nome bem peculiar O PARASITA a oferta de ingressos para festas se agredirem homossexuais da instituição e ainda tem "a cara de pau" de divulgar uma nota informando que não são homofóbicos.
Como disse no título - Depois criticam porque falam que a África é um dos continentes mais atrasados. DESCULPE o que vou dizer, mas como lutar contra o preconceito da cor da pele se os próprios negros deste país pregam outro tipo de preconceito, esta abominável lei. Será que vão gostar de um país de origem branca, como fez o nazismo, decretar que os negros, por serem negros, ou virem de famílias negras, serem condenados a prisão pérpetua ou até a morte? Que moral podem cobrar do restante do mundo se usam artifícios de combate a uma epidemia de AIDS culpando os gays. Em uma pesquisa em Uganda cerca de 80% concordam com este absurdo de aprovação legislativa.

Estou chocado, indignado.

Pronto desabafei.

Boa semana a todos. Se conseguir digerir isso antes.

William Mourão

2 comentários:

Paula disse...

Se 30% se sentisse indignado e também fizesse algo, o mundo seria um lugar mais justo para se viver. O problema é que a grande maioria está anestesiado e nem sequer procura sair deste estado. Então, é difícl algo mudar.

Glaukitos disse...

Concordo plenamente contigo e tenho certeza tratar-se de um absurdo total e realmente nos choca este tipo de bestialidade nestes países africanos.
Quanto ao Brasil, infelizmente o preconceito existe e muito forte.Algumas pessoas tentam esconder que não são preconceituosas mas na primeira oportunidade mostram suas garras.

grande abraço.